segunda-feira, 3 de abril de 2017

Minha experiência na Rua das Noivas (Rua São Caetano)

A saga do vestido de noiva é sempre uma loucura na vida de qualquer mulher, e difícil quem nunca tenha ouvido falar da famosa e reconhecida Rua das Noivas (Rua São Caetano), que fica em São Paulo.
Já tinha ouvido tantas mulheres falando do lugar que me imaginava no paraíso das noivas com muitas e muitas lojas destinadas a quem estava se preparando para o grande dia; e sonhando em encontrar o vestido perfeito, e por isso decidi ir até a famosa Rua São Caetano.



Antes de ir procurei resenhas na internet e tudo que encontrava não me levava a ter boas impressões do lugar.
Preferi acreditar que era uma situação de frustração de quem não tinha encontrado o vestido na famosa Rua das Noivas, e mesmo assim decidi arriscar pelo destino.
Programei-me para ir até a Rua São Caetano numa terça-feira pela manhã, até mesmo porque diziam que aos sábados era bem mais cheia.
Comecei a andar pela rua e tudo que via eram lojas que vendiam e consertavam máquinas de costura. No meio dessas lojas haviam outras lojas também, nesse caso nem de máquinas de costura, nem de noivas, mas sim de itens para lojas, como manequins, araras e cabides.
Quadras se passaram e nenhuma loja relacionada a casamento; e eis que de repente surge a primeira loja e a alegria que ali começava o paraíso das noivas.
Ao ver qualquer sinal de vestido de noiva já entrava na loja, e nessa de loja em loja não encontrei tantas opções como imaginava.
Algumas lojas tinham um visual até que agradável, no entanto, outras mais pareciam uma mini sala com vestidos bem velhos e num piso superior que tinha como acesso uma grande escadaria.
Andei por várias lojas, e em poucas encontrei um atendimento considerado "ok". Na maioria, os atendentes estavam em desespero por empurrar algo e queriam me fazer provar vestidos que eu já não gostava só de olhar.
Em outras lojas, a ideia era mexer com as emoções. Ajudavam a vestir o vestido e ao sair do provador acendiam luzes especiais, colocavam a marcha nupcial, e logo alguém já vinha arrumando seu cabelo com um penteado (brega, por sinal), para te fazer se sentir no grande dia. Tudo aquilo para você ficar emocionalmente abalada e assim já negociar o preço do vestido.



Em outras lojas o provador era algo inexistente e a ideia era "experimente aqui mesmo". Também passei por essa experiência, e no meu caso a loja era uma mini sala em que até o filhinho da proprietária estava no ambiente e ela insistindo para que eu provasse o vestido na frente de todos que estavam ali. De cara desisti da ideia e decidi seguir pela busca.
Andei por várias lojas, e em todas que passei minha experiência foi a mesma - você explica um estilo de vestido que gosta e as atendentes começam a trazer opções para prova. Em nenhum lugar tive a possibilidade de ir até uma sala com vestido e olhar o que tinha de bacana. Ou seja, é esperar que as atendentes entendam perfeitamente a sua ideia.
Os preços não são nada espetaculares, como é o comum de imaginar em grande parte do comércio e das ruas populares de São Paulo.
No geral, achei o preço bem comum e até caro para um aluguel de vestido simples; sendo que um modelo já usado saia, em média, R$ 3000,00 o aluguel. No entanto, no desespero por fechar o negócio é bem fácil de negociar e fazer esse preço cair bem.
Outro ponto que me fez querer sumir da famosa Rua das Noivas é que as atendentes estão prontas para te perseguir, e é exatamente essa a palavra - perseguição.
Fui a uma loja e provei um vestido que achei bacana, mas ainda não era o meu vestido dos sonhos. E um pouco em dúvida disse para a atendente que iria almoçar e caso eu optasse pelo vestido voltaria a loja. Como já estava na região, decidi almoçar por ali mesmo, e para a minha surpresa eis que no final do meu almoço surge a atendente da loja no restaurante perguntando se eu já tinha decidido ficar com o vestido.
Isso mesmo, ela entrou apenas para perguntar isso e logo saiu, nem sequer almoçou ou pegou nada no restaurante.
Depois dessa perseguição, a única certeza que tive era de que era o momento de encerrar a busca.
No geral achei a Rua São Caetano bastante decadente. Até cheguei a conversar com uma atendente que disse que muitas lojas fecharam porque os proprietários faleceram e a família não teve intenção de manter o negócio.
Se você está se perguntando se vale a pena ir até o destino, a minha dica é procurar no seu bairro ou cidade e com certeza vai ter um atendimento mais específico e até mesmo a possibilidade de negociar preços e provas, pois notei que é bem comum a maioria das lojas (mesmo fora da Rua das Noivas) negociarem com facilidade o preço, basta insistir um pouquinho.
E se você já conhece ou foi até a Rua das Noivas (Rua São Caetano), conta aqui nos comentários o que achou e qual foi a sua experiência.


*Ah, e como na maioria das lojas em que passei em outras localidades, na Rua das Noivas as lojas proíbem fotografar qualquer vestido.

quarta-feira, 8 de março de 2017

O mundo de Elena: uma história que precisa de seu apoio!

Fazer compras dá uma sensação muito boa, mas já experimentou ajudar alguém?  A sensação é ainda melhor e mais plena.
E antes que você pare de ler esse post só  porque não é dica de compra, peço um minuto do seu dia. Talvez você não possa ajudar, mas vai ler um relato lindo!
Não é uma corrente, ou talvez até possamos chamar de corrente sim,mas uma corrente do bem onde podemos nos unir em prol do próximo,  em prol de criarmos pontes para ajudar o outro,  em prol de construirmos um mundo melhor e mais solidário!
Recentemente, em conversa com minha cunhada ouvi uma história linda de uma família amiga dela que busca pelo tratamento da filha e é isso que quero mostrar um pouco mais aqui.
O relato é tão sincero e lindo que não poderia reescrever de outra forma, por isso a melhor opção foi de trazer o próprio relato dos pais.

Ah, e se você está pensando que o valor que pode contribuir é pouco, lembre-se de que com "muitos poucos" o valor pode ser alcançado. Não está podendo ajudar agora?  Não é só a ajuda financeira que conta, ajude a compartilhar esse post, vamos fazer uma forte divulgação e alcançar o máximo de pessoas que conseguirmos. Cada ajuda é necessária e muito bem-vinda!



“ Queria contar uma história para você. Elena chegou na nossa vida já trazendo muitas emoções. Meu sentimento com a sua chegada era uma alegria que não cabia no peito. Minhas palavras naquele 4 de abril de 2015: "E ela chegou... O pedacinho de gente com 3,090 Kg e 48cm que trouxe pra gente tanta alegria! Vem Elena, vem pra esse mundão confuso, complicado, difícil, mas com tanto, tanto amor e alegria pra vc!"
Os primeiros meses de vida dela foram bem complicados. Elena não ganhava peso, chorava muito, parecia não se adaptar com o leite materno. Não mediamos esforços para tentar ver o bem estar dela. Seu pai ainda estava longe nessa época pois trabalhava numa obra no Pará. Ela sentia muito a falta dele e achávamos que podia ser esse um dos motivos do sofrimento dela. Mas, muitos médicos, exames e diagnósticos confusos foram dados. Até que um médico nos disse para mudar o leite e ela deveria mamar o quanto quisesse, no momento que quisesse. Com isso, Elena se desenvolveu melhor e as coisas começavam a ficar bem, mas sentíamos que ela ainda precisava ser melhor entendida. A situação financeira já estava bem difícil pois o pai ficou desempregado, por outro lado, ele voltou a estar por perto para lutar junto com a mãe. Pouco antes de completar um ano, começamos a desconfiar que Elena não nos escutava. Ela não respondia aos nossos chamados de voz, nem começava a balbuciar os primeiros sons de fala.
O pediatra não tinha a confirmação, mas fomos procurar especialistas. Depois de muitas consultas, exames e, principalmente, muita, muita espera, descobrimos que Elena tinha surdez profunda bilateral, ou seja, ela não escutava nada, em nenhum dos dois ouvidos.
Foi um momento de dor, de tristeza, de preocupação, mas também de alívio, de finalmente saber o que nossa Elena tinha, porque a interação com ela não era fácil, porque o desenvolvimento dela não era normal. E principalmente depois de quase um ano e meio sabíamos como lidar com ela, o que fazer pra vida dela ser melhor. Assim que soube do diagnóstico ela foi encaminhada pelo pediatra para o grupo de implante coclear do hospital das clinicas em São Paulo.
Minha família mora em São Roque, uma cidade que fica a 60km da capital. Esse implante poderia fazer a Elena ouvir, de uma maneira computadorizada, mas ela, com todo o acompanhamento, poderia falar e ter uma vida normal. Fazer todo o acompanhamento, a bateria de exames, as consultas foram bastante massacrante. Passávamos os dias em médicos, terapias e coisas afins, sempre viajando de um canto pro outro. Mas recebemos muita ajuda da família, de amigos, de pessoas que nem conhecíamos direito.
Elena foi matriculada num grupo de surdos onde começou a aprender Libras, faz aula de artes, convive com crianças iguais a ela. Os pais, sempre muito fortes e presentes, a acompanham, também fazem aulas da língua de sinais e hoje, seis meses depois, Elena já se comunica de uma forma linda. A alegria de saber se comunicar, de mostrar o que quer e de nos entender é vista estampada no rosto dela. Quando tudo já se encaminhava para a cirurgia, os papéis já estavam assinados para o procedimento, um exame revelou que Elena tem surdez profunda com ausência de nervo e má formação coclear bilateral, o que impossibilita a cirurgia de implante coclear.
Essa notícia foi muito impactante para todos nós. Já contávamos que a nossa pequena ouviria dentro de pouco tempo quando a vida nos deu mais um "não".
Descobrimos mais tarde que a única possibilidade de Elena ouvir é uma cirurgia de implante de tronco cerebral (ABI). Essa cirurgia é muito pouco conhecida no Brasil, poucos médicos fazem e nenhum deles tem experiência no procedimento. Elena seria apenas mais uma experiência. O resultado dessa cirurgia nas pessoas que fizeram aqui no Brasil foi muito pouco conclusivo. Nenhuma delas teve resposta de fala, o som que ouvem são ruídos, apenas barulhos fortes.
Com pesquisas, soubemos que há possibilidade dela fazer essa mesma cirurgia fora do Brasil, com um médico com mais experiência e, por isso, com uma grande chance de resposta positiva. Mas temos um grande desafio pela frente. Uma cirurgia fora do país terá que ser toda paga inteiramente por nós e não temos como custear a cirurgia e a viagem.
Parece uma missão impossível, mas nos fortificamos a cada vez que olhamos pro seu rostinho e vemos a dificuldade dela em fazer parte do todo. Porque nós estamos fazendo e, sempre faremos, de tudo para ela estar inserida no nosso mundo, mas sabemos que o mundo não fará isso por ela a vida toda.
Vamos continuar lutando com todas as forças que temos para fazer o melhor por ela, e, hoje, o nosso objetivo é conseguir custear essa cirurgia.
Agradecemos cada ajuda
Carla e Leonardo
Pais da Elena”


          Ah, e se você quer ajudar, aqui embaixo tem as opções de contas para depósito. Vamos fazer essa corrente e ajudar a pequena Elena!




Se você quer saber o valor que a família da pequena Elena está precisando, entre na página do Facebook, e aproveite para curtir também, é um pequeno gesto, mas que gera movimentação e é disso que a Elena precisa, de mais e mais pessoas conhecendo a sua história e compartilhando, assim conseguiremos formar a nossa corrente do bem para que a Elena possa operar.

segunda-feira, 6 de março de 2017

Como ganhar dinheiro: dicas para aumentar a renda!

             Nem sempre dá para pensar só em compras, pelo contrário, é preciso pensar também em como ganhar dinheiro, afinal não dá para gastar sem ter. E se você está aí pensando em mil maneiras de como aumentar a renda, ou até criar uma nova renda para superar a fase do desemprego, hoje trago algumas dicas de negócios simples e que você pode fazer para entrar uma graninha a mais.



  • Descubra o que você gosta de fazer e faça bem!

A regra número 1 de como ganhar dinheiro é pensar naquilo que você gosta. 
Se você gota de algo é bem provável que vai fazer aquilo mais empenhado(a) e assim tornar o trabalho menos árduo. Tentar uma tarefa que não lhe agrada muito pode deixar o trabalho mais penoso e você vai desanimar logo.
Além de fazer o que gosta, saiba identificar o seu dom, tem quem tenha mãos de fada para os bordados, e outras pessoas que têm mãos perfeitas para os temperos e quitutes.
 Mas nem tudo se resume ao trabalho de criar um alimento ou artesanato, você também pode trabalhar como freelancer por algum tempo, como revisor de textos para quem gosta de português ou línguas estrangeiras e tenha conhecimentos na área.
Então, antes de partir para qualquer negócio, pare e pense! Identifique os seus gostos pessoais e pense em uma maneira de fazer o melhor de si, assim você vai ter destaque no mercado.



  • Ideias de trabalhos para ganhar dinheiro
Isso não é uma regra ou mágica de como ganhar dinheiro, mas sim uma lista de coisas que você pode fazer para aumentar a renda. E antes de optar por qualquer uma das atividades, lembre-se de que você deve escolher por ter aptidão com o negócio.


Artesanato
A ideia pode ser batida e bem conhecida, mas trabalhar com artesanato é uma boa maneira de ganhar dinheiro.
Se você tem habilidade em qualquer atividade de artesanato, treine muito, e assim você vai ganhar destaque com suas peças.
Há várias possibilidades de artesanato - pintar quadros, decorar ou pintar panos de prato, fazer caixinhas decoradas, fazer aromatizadores de ambiente,  desenvolver kits de presentes com sabonetes líquidos ou comésticos, entre tantas outras ideias.
E para comercializar, vale desde a propaganda boca a boca, até vender seus trabalhos online em lojas como Elo7. E garanto que tem muita gente que adora essas ideias, e eu sou uma dessas pessoas, que é uma compradora assídua do Elo7.




Sites de trabalho freelancer
Se você não se identifica com os trabalhos manuais de artesanato, pode recorrer a sites como Freelancer,  um site que reúne oportunidades de projetos para freelas que tenham diferentes conhecimentos. O site é uma ótima oportunidade para quem está querendo um trabalhar de casa, já que existem muitas opções ao estilo home office.
Existem muitos sites nesse estilo, e você pode procurar por projetos que sejam de acordo com seus conhecimentos.


Comidinhas e quitutes
A área de alimentos nunca está saturada se você tem algo bom a ofertar. Existe muita gente trabalhando com entregas de comidas ao estilo caseira, mas nem tudo o que existe é muito bom, então, se você se destacar no que faz, tem muita chance de ganhar dinheiro na área.
Não precisa ter um cardápio super extenso, o ideal é que você foque no que sabe cozinhar de bom e no público que quer atingir.
Se você é ótimo em fazer comida japonesa, saladinhas de pote, lanches naturais, sucos diferentes, pães, bolos caseiros, invista no que realmente sabe fazer bem.
E para comercializar, abuse de propaganda boca a boca, de ferramentas online - como Facebook e Whatsapp; ou até mesmo aproveite para comercializar no seu condomínio.



E se você está aí desanimado(a) é hora de se reinventar e pensar no que faz bem para ter uma nova forma de como ganhar dinheiro.






terça-feira, 17 de janeiro de 2017

3 objetos de desejo para a cozinha

            Não sou a melhor cozinheira (bem longe disso), mas gosto de me aventurar na cozinha e acho que tem utensílios que deixam a tarefa mais divertida e até mais prática. E pensando em tudo o que vejo na internet, decidi criar essa lista com objetos de desejo para a cozinha.
            Tem vários itens que eu adoraria testar e por isso decidi compartilhar essa listinha com as novidades e ideias para o mundo da cozinha.

  • Pipoqueira de micro-ondas

            Quem acompanha o blog há algum tempo já sabe que adoro pipoca, e já fiz até post sobre a minha pipoqueira elétrica. 
E como uma boa adoradora de pipoca, sempre fico de olho nas novidades, e recentemente encontrei esse utensílio de silicone para fazer pipoca no micro-ondas. A ideia é usar milho normal e diz que pode adicionar ou não óleo/ manteiga.



Depois é só colocar no micro e esperar pelos estouros; ou seja, pipoca rápida e prática; e ainda dá para servir no mesmo recipiente em que a pipoca foi feita.
Encontrei para comprar no Submarino por R$ 89,90, e acho que se funcionar bem, o investimento vale a pena.

  • Cortador espiral de legumes

            Este é daqueles itens que deixam a cozinha mais prática e até despertam a vontade de comer salada.

            A ideia é de uma espécie de ralador de legumes que fatias os alimentos em tiras finas; e até lembra a ideia de um apontador de lápis.
            O preço nas lojas Americanas é bem ok, apenas R$ 16,89, e acho que é um investimento que vale a pena pela ideia de ter legumes em formas diferentes.

  • Escorredor para latas

            Que atire a primeira pedra que nunca tentou escorrer a água de um alimento enlatado e não desperdiçou comida.
            Já tentei essa tarefa de tirar a água só fazendo pequenos furos laterais; usando uma peneirinha ou tentado segurar com a própria tampa da embalagem; mas com certeza um escorredor específico para a tarefa deve ajudar muito.


            A ideia desse produto é que você o encaixe na embalagem e aí é só virar para retirar a água sem desperdiçar nadinha.
            Achei a ideia super bacana e o utensílio prático! Vi para vender na loja Bololô (já comprei outros utensílios na loja, e achei o e-commerce ótimo), por R$ 19,90.



            Ah, e se você já testou algum desses objetos de desejo para a cozinha, me conta aqui nos comentários o que achou e se vale a pena o preço e a utilidade deles.